Nat King Cole – Re: Generations

27 Fev
A velha guarda do jazz

A velha guarda do jazz

Todo projeto que faz releitura de um determinado artista é sempre um risco artístico, mas sempre gera dividendos.

Na verdade isso não é nada mais do que, a indústria fonográfica tentando sobreviver em cima do que já foi feito. Basta ver que a maioria dos artistas hoje tenta buscar sua independência, por sorte de quem consome.

A justificativa é sempre a mesma. Modernizar.

Agora é a vez de Nat King Cole com “Re: Generations”, que lembra e muito o que Will.I.Am fez com Sergio Mendes em “Timeless”. O resultado vai agradar a varios segmentos.

“Straighten up and fly right” (Will.I.Am e Natalie Cole)

Remix com a cara do homem forte do Black Eyed Peas.

“Day in day out” (Cut Chemist)

O ex-Jurassic 5 é decididamente um maestro dos toca discos.

“Brazilian love song” (Michaelangelo Lacqua e Bebel Gilberto)

Tinha tudo para ser mais uma daquelas obviedades da industria fonográfica, mas Bebel mandou muito bem, como de costume.

“The game of love” (Nas e Salaam Remi)

Nat King Cole, era um negro nos EUA em meio a uma das fases mais racista daquele país. A participação de Nas trouxe um pouco dos ares da rua nessa faixa.

“Walkin my baby back home” (The Roots)

Clássico com rap clássico.

“Calypso blues” (Stephen e Damian Marley)

Nat King of Jamaican Cole, raga muff requintada.

“Nature boy” (TV On the Radio)

Tensão nos arranjos, o que é bom.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: