Base do Baú – Força Bruta (1970)

19 Mar
Jorge Duílio Lima Meneses

Jorge Duílio Lima Meneses

A década de 70 estava apenas começando, Jorge Ben já estava gravando “Força Bruta“.

Esse é o disco mais forte de Jorge. Pode até não ser o clássico dele, mas certamente é o mais forte.

“Oba Lá Vem Ela” é o malandro cheio de swing. “Zé Canjica” é a melhor música para se entender a solidão. O hino de amor “Domenica domingava num domingo linda”, só o nome já é uma canção.

Tem a forte “Charles Jr” que inspirou todo mundo, um verdadeiro manifesto ao ser humano. “Pulo Pulo” é só soltar que a pista ferve.

Jorge canta como um convidado do Trio Mocotó, que simplesmente destrói a casa com levada caipira em “Apareceu Aparecida”.

“O Telefone Tocou Novamente” e “Mulher Brasileira”, ele sabe como  falar de amor para uma mulher como ninguém. Salve Jorge!

“Terezinha” tem uma brisa fantástica. Termina com “Força Bruta”, precisava mais?

Isso é só o começo.

Anúncios

Uma resposta to “Base do Baú – Força Bruta (1970)”

  1. fabríciodelima 20/03/2009 às 11:50 #

    reza a lenda, já desmentida em algumas oportunidades, que o disco foi gravado em uma madrugada. não tem esse papo?

    mas o jorge ben já desmentiu ele mesmo. agora que ele é um caretão ele nunca iria dizer que gravaram locões o disco de uma vez só. talvez para não pagar hora-extra pra banda. hahaha.

    abração. disco do caralho.
    delima.dubem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: