Emicida – Pra Quem Já Mordeu Um Cachorro Por Comida, Até Que Cheguei Longe

3 Jun
Leandro Gonçalves

Leandro Roque de Oliveira

Enfim, chegou a mixtape “Pra Quem Já Mordeu Um Cachorro Por Comida, Até Que Cheguei Longe” de Leandro Roque de Oliveira, o Emicida. Pensei em conversar com ele e fazer um texto jornalístico chato. Mas, achei melhor colocar aqui minhas impressões pessoais, como alguém que escreve sobre música e como ouvinte do bom rap. E fica difícil explicar algo que se aposta tanto.

O disco de Emicida é certo um dos melhores do ano, e se a crítica musical não ficar restrita aos de sempre, ele deve estar nas melhores listas de 2009. O diferencial de Leandro é que ele consegue fazer uma ligação muito certeira com a musicalidade, algo que lembra a linha que o Instituto faz e já fez com Kamau, por exemplo. Aliás, Kamau é uma forte influência visível no trabalho de Leandro, o que é perfeito, pois comprova que Kamau é de uma geração que influencia muito essa nova safra. ZN na área!

O disco está a venda na raça, pelo e-mail emicida@gmail.com ou em algumas lojas da Galeria do Rock, no centro de São Paulo) e ainda de mão em mão, nas ruas, e aliás, esse é o local que percorre a rima suingada de Emicida, e que já está com destino ao Japão, pois além de alguns estados brasileiros, é pra lá que foi um lote de mixtape.

“Pra Não Ter Tempo Ruim” é um bom exemplo da ligação rua-som, com bela participação de Mariana Timbó. Em seguida vem “Só Isso”, com uma letra cruel e a produção de Slim Rimografia, na cadência bonita do samba. Ao todo são 25 faixas, que circulam entre belos beats e rimas perfeitas, precisas. Emicida consegue ser forte e cruel em momentos como “Por Deus, Por Favor”, quando mostra a que nível a música popular brasileira pode evoluir. Não basta a MPB hoje ficar esperando os mesmos fazerem musicas. A nova geração é essa, por sorte.

As três últimas faixas são perfeitas, se casam de forma certeira. Primeiro Emicida mostra que é jovem, mas está aí para brigar com força de gente grande, “A Rua é Nóiz”. Vem então o lado dança (mandou bem DJ Nyack). Para terminar “Ooorrra… (a que deu nome a mix tape…)”, não bastasse o excelente nome da música, na letra, sem nenhum exagero, ele chega ao patamar de Mano Brown. É a mesma verdade.

Essa mixtape pode até ser um simples teste para o MC da zona norte se apresentar, pelo menos essa é a teoria em um mercado consolidado como o americano. Aqui no Brasil é um senhor disco, um dos melhores do ano, pelo menos aqui no Groove Livre.

Professor é quem faz tudo isso, eu sou apenas mais um raPAZ comum.

Anúncios

3 Respostas to “Emicida – Pra Quem Já Mordeu Um Cachorro Por Comida, Até Que Cheguei Longe”

  1. rhodzz 03/06/2009 às 17:06 #

    atabaques vão soar como tambores de guerra…

    graças a deus eles começaram

    força ae Emicida e toda familia

    tamu junto

    zona norte na fita , jardim fontalis

    a rua é nóixxx

  2. Jader Placido 29/11/2009 às 20:24 #

    Eu tenho o meu original, carimbado pelo próprio emicida, nave, o zica da rima, zica da base, os “oto” é tipo aquaplay, divertido mas não passa de fase.
    O n do meu cd é 1403. A rua é nois!

Trackbacks/Pingbacks

  1. O Groove de 2009 « - 31/12/2009

    […] que tem de ficar restrito a meia dúzia de pessoas. Emicida começou toda essa história com o lançamento de sua mixtape. Chegou a ser indicado no sonolento VMB 09, apareceu até nos “jornalões”. Rompeu as primeiras […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: