Arquivo | Os discos de 2009 RSS feed for this section

4:5+5+5+5 melhores de 2009

6 Jan

Quatro listas com os cinco melhores do ano. Sempre falta alguém, mas acho que é uma lista justa. Cada um com sua importância.

E o groove vai para..

Cinco discos nacionais

– Céu – “Vagarosa”

– Cidadão Intigado – “Uhuuu!”

– Emicida – “Pra Quem Já Mordeu Um Cachorro Por Comida, Até Que Eu Cheguei Longe”

– Flora Matos Vs StereDubs – “Flora Matos Vs Stereodubs”

– Lucas Santtana – “Sem Nostalgia”

Cinco discos gringos

– Georgia Anne Muldrow – “Umsindo”

– K’naan – “Troubadour”

– LMFAO – “Party Rock”

– Major Lazer – “Guns Don’t Kill People… Lazers Do”

– Mos Def – “The Ecstatic”

Cinco músicas

Black Eyed Peas – I Gotta Feeling

Jay-Z – D.O.A (Death of Auto-Tune)

K’naan – America

Kid Cudi vs. Crookers – Day N Nite

Rincon Sapiência – Elegância

Cinco virtuais

– Funkero – “Poesia Marginal”

– Idle Warship – “Party Robot”

– J.Period & Knaan – “The Messenger”

– J.Period & Nneka – “The Madness (Onye-Ala)”

– Wu-Tang Meets The Indie Culture Vol. 2: Enter The Dubstep

Anúncios

Então foi natal

28 Dez

Todo final de ano é a mesma história, correria e falta de tempo. Tentei escrever antes do natal, mas mão deu. Agora que o ano só espera virar o numero vou começar a fechar a conta e fazer um resumo do ano groove, quatro listinhas de “top 5” (que estão quase no fim). Tem ainda a Rádio 420 especial (sem muita mudança, mas só pra falar que é especial de fim de ano) e mais alguma coisa que vai acontecendo por aqui. Só não garanto que termino tudo no numero nove, mas no 10 é certeza.
Acabou a folga, mas o ano ainda não.

Major Lazer e sua missão

21 Nov

Semana corrida demais. Mudança de andar e tudo mais pra semana que vem ainda. E para mostrar que a Jamaica tem um poder forte no mundo da música, Major Lazer é a trilha para o fim de semana na areia do feriadão. Está na restrita lista dos 5+.

Os responsáveis pelo álbum são os produtores Diplo e Switch. A história sobre Major Lazer é fantástica, saiu na rraurl.

“Major Lazer é um comandante jamaicano que perdeu seu braço na secreta Guerra dos Zumbis de 1984. Os militares americanos o salvaram ele colocaram armas de lasers experimentais no lugar de membros protéticos. Desde então o Major Lazer tem sido um soldado renegado contratado por um governo de malfeitores que operam em segredo sob o olhar de M5 e da CIA.

Seu disfarce é o de um proprietário de um clube noturno de dancehall em Trinidad e ele recorreu à ajuda de seus aliados de longa data, os produtores Diplo e Switch, para produzir o seu primeiro LP. Sua verdadeira missão é proteger o mundo das forças do mal que vivem apenas sob a superfície de uma sociedade civilizada. Ele luta contra vampiros e vários outros monstros, se joga bastante, e tem um skate com foguetes.”

Quero tomar esse remédio e praia.

A música é compromisso

11 Nov

DSC_9416_GL

Flora Matos chegou à Babilônia Paulistana com a música “Véu da Noite” na garganta, graças a KL Jay. Veio com a coragem para encarar uma cena rap em que a parada era toda dominada pelo homem. Não foi uma entrada fácil, era muita responsabilidade para uma garota. Seu talento, porém, te credenciava para encarar isso com tranquilidade. Vieram algumas parcerias e várias músicas – todas só acrescentando e entendendo bem todo seu potencial.

Eis que o universo conspira e ela cruza com a dupla LX e Leonardo Grijó, o Stereodubs. Dois produtores que estão em uma sintonia com o mundo e o mercado, muito além da página três de qualquer história de um gênero musical.

O resultado de uma parceria como essa não poderia ser outro, se não a mixtape “Flora Matos Vs StereoDubs” que está disponível para download. O disco (mixtape) é com folga um dos melhores trabalhos do ano, mostrando e comprovando o bom ano pelo qual o rap passa. A diferença, aqui, é que se descobrem duas coisas além de um bom disco de rap. A musicalidade completa de Flora e a diversidade sonora de uma produção musical do Stereodubs. A voz de Flora circula com facilidade em qualquer estilo musical. Ela passeia pela MPB em “Esperar o Sol”, que toca fácil em qualquer rádio dita como a da nova música brasileira, sendo ainda realmente moderna. O disco abre com “Viver”, uma ligação certeira entre dois os discos. Sabotage dá a benção a Flora, ele será seu guia na caminhada. Esta mixtape é uma variedade de ritmos, assim como pregava “Rap é Compromisso”, do Sabota.

Tem ainda o certeiro remix de “Pai de Família”. Quando entram as que não estavam circulando por aí, o nível passa a ser outro, uma evolução sonora dentro do rap.  “Pretin” é a nova Jamaica local, na qual o Stereodubs circula com todo seu respeito ao estilo.  Quanto a Flora, ela continua mostrando que circula em qualquer ritmo.

 “Sem Mão Na Cara” é um tapa de toda hipocrisia. Flora mostra que não existe sexo ou qualquer barreira e destrói na rima, em uma das melhores faixas. “Sei muito bem quem são / Correm noutra direção / Vão ter que ter a pureza pra interpretar meu som”, diz a letra. Sua agressividade circula com a mesma suavidade de sua voz  e a produção fez com que isso ficasse na organização certa.

Tem ainda “Até o Infinito”, com doses de dancehall e dubstep. “Meu Caminho” é pista total, verdadeira, pois Flora dá credibilidade. Não é como rapper de grande gravadora, vestido de cachorrão, que só é bem produzido por que tem uma “major” por trás. Aqui é pop dançante e honesto.

Por fim, “Minha Voz” é uma aula de como fazer música. E isso é só o começo. Bom saber que já temos dois grandes discos nacionais que vieram das ruas esse ano.

*Matéria que fiz para o Noiz. Tem mais fotos e as músicas por aqui.

E o disco todo aqui.

Idle Warship – “Party Robot”

5 Nov

iw_pr

Qualquer coisa que envolva Talib Kweli é para se prestar muita atenção. Seu projeto Idle Warship com as cantoras Res  e Graph Nobel é o melhor exemplo da qualidade do seu trabalho. “Party Robot” é o disco (mixtape) que está na rede para delírio de quem gosta de apreciar uma boa novidade.

O poder do “flow” e de interpretação de Talib Kweli é único no rap. Para agraciar as canções e de quebra colocar mais leveza e sensualidade Res e Graph Nobel são as vozes femininas dessa ligação certeira. Um disco que pode estar na prateleira de rap ou de música eletrônica sem nenhum problema.

Um dos melhores do ano.

Fácil!

Anti-Pop Consortium – Fluorescent Black

12 Set

Antipop_Consortium-Fluorescent_Black_b

Incrível como o APC cria sua musica em função da eletrônica.  Pra variar, o lançamento está no Só Pedrada Musical. Ouvi e já sabia que se tratava de uma musica refinada e requintada. Musica para uma viagem adocicada.

Existe toda uma festa para se lançar um disco do Jay-Z, por exemplo, mas ninguém fala de um lançamento como esse. Aí que está o motivo, isso não é nenhum problema, pois lá fora o grande artista sabe incentivar essa criação pra buscar futuros sucessos.

O entretenimento lá fora trabalha de forma conjunta, para sustentar a criação da arte. Aqui se proíbe o Twitter e o artista briga pra não perder seu espaço, e não por uma causa.

Cidadão Instigado – “Uhuuu”

12 Ago

cidadaoinstigado_uhuuu_capa

Bruno Natal do Urbe semana passada pautou a Ilustrada com a matéria do Autotune. Essa semana vai fazer o mesmo com o novo disco do Cidadão Instigado “Uhuuu”. E como era de se esperar, o disco é um dos melhores de 2009, e como de costume, Fernando Catatau e todo o Cidadão Instigado conseguem superar as expectativas.

Esse disco é exatamente o que falo de estar um passo a frente. Cidadão Instigado consegue ver com clareza que a música é uma só. Isso sabendo que vivemos em um universo cultural que ainda não viu isso. Pode-se constatar com clareza que existe uma linha da música brasileira sendo criada com honestidade. Fernando Catatau sabe perfeitamente como fazer isso.

Agora, em um lugar onde Ana Cañas, Ana Carolina e Maria Gadú são as “novas”. Fica difícil. Arnaldo Antunes sacou isso, e tem todo meu respeito.

Fernando Catatau é simplesmente foda pessoal.

Parabéns mermão!