Tag Archives: Jorge Ben

O homem gol

14 Jun

Não tem como, sempre vou torcer pelo Brasil. Mesmo “cornetando” o tempo todo e achando o Dunga um conservador reaça. Outra coisa, o Andre Caramante falou muito bem em sua coluna nesse domingo sobre esse lance da Nike com o Mano Brown. Bem, eu só acho que demorou para o Brown fazer algo assim.

Só para lembrar uma história, João Gordo sempre foi considerado um traidor do movimento punk, e na verdade ele não era, só estava se adaptando às mudanças do tempo. O problema do vocalista do Ratos de Porões foi que ele virou um conservador reaça também. E que, para sua tristeza, virou ídolo de 99% das bandas “emos”. Tomara que a Adidas, a Puma, a Umbro e todas as grandes marcas façam o mesmo com outros bons nomes da música brasileira e tomara que quem aceite a grana mantenha sua postura e ideais.

Umbabarauma (World Cup 2010)

2 Jun

Convenhamos que essa união não tinha como dar errada.

Jorge Ben é homem gol estilo Zico. Mano Brown foi muito bem na dupla de ataque estilo Ronaldo. No comando tático dos beats Daniel Ganjaman e Zegon. No time titular ainda tem Céu, Anelis Assumpção, Thalma de Freitas, Pupilo (o melhor baterista da atualidade), Gustavo Da Lua e outros bambas.

Que Dunga que nada!!

Radio 420

20 Nov

Radio 420 Beta 20112009

(dia da consciência negra )

Tim Maia – New Love

Marku Ribas – Madinina

Sabotage (Instituto) – Cabeça de Nego

Clementina de Jesus – Incompatibilidade de Gênios

Cidinho e Doca – Rap da Felicidade

Racionais Mc’s – Negro Drama

Jorge Ben – Charles Jr.

Branca de Neve – Nego Dito

Play para o povo preto

Cérebro congelado

29 Out

KL Jay e Marky juntos. Isso aconteceu no projeto “Música Sem Fronteiras”.  A apresentação que Kleber faz antes de começar a quebradeira é perfeita, pois ali estão dois artistas que romperam fronteiras.

KL Jay foi o homem responsável por musicar toda a poesia de Mano Brown, ele é a música que existe e sempre irá existir nos Racionais.

Marky foi um dos DJ que fez com que a tradicional musica brasileira ganhasse uma sobrevida. Mas com o passar do tempo a relação entre MPB e música eletrônica foi se pasteurizando e se tornando em mesmice.

Marky foi além e usou a música brasileira para buscar elementos. Um (ou dois) dia antes dessa apresentação o vi em ação na Clash. Ele fez um remix de Michael Jackson (“Rock With You” se não me engano) que foi destruidor.

No set que os dois mostram nesse vídeo circulam mestres como James Brown, Racionais, Elis Regina, Jorge Ben e Tim Maia.

Isso se chama educação musical.

Base do Baú – Bicho (1977)

2 Abr
Caetano Emanuel Viana Teles Veloso

Caetano Emanuel Viana Teles Veloso

Poucos consideram “Bicho” de 1977 um disco importante na carreira de Caetano Veloso. Na maioria dos casos o discurso é sempre o mesmo, “Transa” e “Araçá Azul”, nem vou questionar porque são dois trabalhos com seus valores, que sabemos que são muitos.

“Odara” abre com Caetano fazendo um manifesto a cultura negra, celebrando o amor e a cor.  Tem a versão com a Banda Black Rio que é mais negra ainda. Prova maior que essa canção tem negritude foi quando Rappin Hood pegou a base e fez sua versão. Caetano que não é bobo nem nada participou.

Em “Gente” o groove continua, não é uma letra inspirada, mas Caetano estava entrando numa onda concretista e claro, a construção musical seguia o mesmo caminho. Talvez mais tarde ele acerte em cheio com “Língua“.

“Olha o Menino” é um Jorge Ben em sua melhor forma. Velô jamais deixaria passar a oportunidade, conhece de música.

Em “Um Índio”, sobrecarrega nas influências, enche a letra de personalidades, mas a poesia de Caetano é assim, às vezes exagera na informação.

“Tigresa” e “Leãozinho”, bem, todo mundo conhece. Trilha de novela.

Esse é um disco de Caetano que começa bem, mas se perde no pop da época.

Mesmo assim, vale o balanço do lado A.

Base do Baú – Força Bruta (1970)

19 Mar
Jorge Duílio Lima Meneses

Jorge Duílio Lima Meneses

A década de 70 estava apenas começando, Jorge Ben já estava gravando “Força Bruta“.

Esse é o disco mais forte de Jorge. Pode até não ser o clássico dele, mas certamente é o mais forte.

“Oba Lá Vem Ela” é o malandro cheio de swing. “Zé Canjica” é a melhor música para se entender a solidão. O hino de amor “Domenica domingava num domingo linda”, só o nome já é uma canção.

Tem a forte “Charles Jr” que inspirou todo mundo, um verdadeiro manifesto ao ser humano. “Pulo Pulo” é só soltar que a pista ferve.

Jorge canta como um convidado do Trio Mocotó, que simplesmente destrói a casa com levada caipira em “Apareceu Aparecida”.

“O Telefone Tocou Novamente” e “Mulher Brasileira”, ele sabe como  falar de amor para uma mulher como ninguém. Salve Jorge!

“Terezinha” tem uma brisa fantástica. Termina com “Força Bruta”, precisava mais?

Isso é só o começo.